Cajado da Redenção - Capítulo 07 - Depreção

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Cajado da Redenção - Capítulo 07 - Depreção

Mensagem por Gamesmenezes em Sab Ago 02 2014, 20:12

Fala galera do forum, blz? Bem, antes de tudo queria pedir desculpas pela demora a postar esse capítulo da fic. Mas tenho (boas desculpas) bons motivos para isso.
Motivos:
-1- Nesse tempo todo eu não estava inspirado, e quando assim estou tenho a tendência de escrever qualquer coisa só para "encher linguiça" e chegar logo na parte da fic que eu quero. Mas como eu não queria fazer isso decidi que era melhor demorar e escrever um capítulo com conteúdo do que um monte de acções sem sentido para forçar o progresso da história.
-2- Eu estive viajando nas ultimas semanas, então não pude escrever.
-3- (O mais influente dos motivos) Da forma que a historia tinha parado eu não poderia prosseguir directo ao ponto nem a situação que eu pretendia.

Um avizinho rápido antes de continuar é que a partir de agora passarei a dar nomes ao capítulos alem de numera-los. Então como os anteriores não tem nome aceitarei sugestões para tais.

Então, finalmente aqui está o capítulo 7 "Depreção"
Capítulo #07 - Depreção:
Túlio acorda ainda atordoado, ele abre seus olhos vagarosamente enquanto ouve a conversa.

-(Osvald): O que deu nele aquela hora?

-(Valter): Magia negra, isso realmente tá matando ele...

-(Osvald): Não me refiro a isso.

-(Valter): Ah, sim, ele tem um coração, mas um temperamento de touro...

-(Osvald): Mas ele se irritou tanto... E só por causa do que Robert disse.

Túlio se senta na beirada lateral da cama que estava deitado dizendo.

-(Túlio): Não foi só pelo que ele falou agora a pouco... E sim por hoje cedo...

-(Osvald): Do que está falando?

Túlio então contou sobre o os dias que ele e Jéssica passaram juntos, os pesadelos, o incêndio e a descoberta do dom dela.

-(Osvald): Então minha filha é vidente...

-(Túlio): Aparentemente sim, e parece que ela só tem visões durante o sono...

Ele então se levantou dizendo.

-(Túlio): Bem, mas vidente ou não, o melhor para ela é ficar aqui até Valter dar um jeito no amuleto.

-(Osvald): Sim, verdade.

Túlio então saio da casa de Valter, olhou para o céu e o viu em crepúsculo.

-(Pensamento) (Túlio): Já é tão tarde, por quanto tempo fiquei desacordado? Bem, isso não importa agora.

Ele foi até onde um dia foi sua casa e em meio aos destroços começou a mover os entulhos. Ele mudou tábuas carbonizadas e pedras de lugar, até achar a entrada para o subsolo ao qual tinha uma escadaria de pedra. Ele entrou, e viu que grande parte do que la havia tinha sido queimado com exceção de algumas coisas que estavam em uma prateleira sustentada por mãos francesas. Ele pegou os objetos um a um.

-(Túlio): A primeira espada que forjei, quanto tempo passei afiando isso... O amuleto do avô, isso deve ter tido muito valor para meu pai... Essa garrafa de vinho, vinho branco, sempre preferi vinho tinto, mas é o que restou...

Pegou aqueles objetos de la saio e para a casa de Valter voltou. La Valter o encontrou sentado em uma cadeira e apoiado na mesa da cozinha, segurando a garrafa de vinho já pela metade. Quando o viu tomar a bebida direto do bico da garrafa, fechou a porta da cozinha, puxou uma cadeira e se sentou em frente a Túlio dizendo:

- (Valter): Dia ruim?

- (Túlio): (Embriagado) “Dia Ruim?” Não! Vida ruim... Não tenho mais casa, desmaio praticamente uma vez por dia, e o único que sabe o paradeiro do maldito cajado não pode me contar.

- (Valter): Vamos la Túlio, se anima, você vive viajando  conhecendo gente nova.

(Som de passos) (Os passos param). Valter devia por um instante seu olhar para a porta da cozinha.
- (Túlio): Grande coisa. Quando eu finalmente puder descansar, não haverá mais graça em viajar.

- (Valter): Ao menos finja ter um pouco de animo, Jéssica não gostaria de te ver assim, e você a ama, não é?

- (Túlio): EU NÃO A AMO! Ao menos não posso me dar ao luxo de ama-la...

- (Valter): Do que raios você está falando?

- (Túlio): Todos os que eu amo morrem, Foi assim com minha mãe, com Gabriel e com meu pai...

- (Valter): Para de falar besteira! O que aconteceu com sua mãe foi apenas um acidente, seu pai já estava velho e Gabriel... Bem Gabriel se alistou, não é de se surpreender que ele tenha morrido...

- (Túlio): Isso não prova nada...

-(Valter): É, mas também não há nada que prove que a morte deles foi sua culpa!

Ele se levanta, vai até a porta para e olha para Túlio. (Som de passos).

-(Valter): Ao menos não contagie o mundo com essa sua “alegria”...

Ele sai da cozinha.

Alexander desce as escadas e pergunta preocupado a Valter:

-(Alexander): O que deu nele?

-(Valter): (Suspiro) Ele só está um pouco para baixo... Nada que ele não supere passando um tempo sozinho, como sempre o fez.

-(Alexander): Bem, só espero que ele triste não seja desvairado como de mau humor. Não quero um sujeito desses perto da minha irmã...

-(Valter): Acredite, ele não faria nem um mau que não viesse por bem a Jéssica.

Túlio sai caminhado em direção a porta da frente dizendo ainda bêbado:

-(Túlio): Preciso de um tempo sozinho, sabe onde me encontrar...
E La foi ele porta a fora...

-(Alexander): Ele sempre se embriaga assim?

-(Valter): Raramente, geralmente quando tem um problema ele se isola e tenta achar uma solução, sozinho...

-(Alexander): Nossa então ele deve estar mal mesmo.

Jéssica estava descendo as escadas quando seu irmão falou isso.

-(Jéssica): Aonde ele foi!?

-(Valter): Acho que para as margens de Lake Mead. Ele sempre vai para la esvaziar a cabeça.

Ela já estava indo para la vê-lo quando Alexander a interrompeu antes de chegar a porta segurando seu braço e dizendo:

-(Alexander): Espera!... Você não pode sair... Não sem que eu te dê isso. (Tira o amuleto e o entrega nas mãos de Jéssica). Não quer ninguém te causando problemas, não é?

-(Jéssica): Mano, é o seu amuleto... Você não pode...

-(Alexander): É claro que posso, o amuleto é meu, eu faço o que quiser com ele. E agora estou te dando ele. Você precisa dele mais do que eu...

-(Jéssica): (Colocando o amuleto) Obrigada Alex... (termina de colocar o amuleto)

Ela sai da casa, da cidade em direção ao lago.

-(Valter): Você não disse que não queria alguém como ele perto dela?

-(Alexander): Sim, mas ele merece uma segunda chance.

Oslvad descia as escadas quando percebeu.

-(Osvald): Alex? Não está usando o amuleto? Por quê?

-(Alexander): Eu o dei a Jéssica, ela precisa mais do que eu. Alem disso Valter pode fazer outro, não é?

-(Valter): Claro, mas precisarei de tempo e mana para isso e- Essa não!!!

Valter arregala seus olhos repentinamente quando disse isso. Alexander se assusta e colocando as mãos nos ombros do velho o pergunta:

-(Alexander): Valter, o que foi?!

-(Osvlad): Túlio seria capaz de machucar Jéssica para proteger ela dele mesmo.

Osvald inicia o raciocínio que é continuado por Valter.

-(Valter): E parece que ele acredita que as pessoas que ele ama morrem prematuramente.

-(Alexander): E ele esta bêbado...

Termina a lógica, Alexander, colocando a mão na boca.

-(Robert): Isso tem tudo para acabar em tragédia... (Falando do alto da escada) Eu sabia que não dava para confiar naquele desvairado.

Dizia o rapaz se sentando no alto da escada.

-(Valter): Você não o conhece!!! Ele apenas está em um dia ruim... Na verdade des de ontem ele está assim.

-(Osvald): HEY, enquanto a Jéssica! Vamos fazer alguma coisa.

-(Valter): Vamos! Robert e Alexander fiquem aqui em casa. Eu e Osvald vamos atrás de Jéssica.

Os dois correram até onde ela estaria. E lá estava Túlio caminhando bêbado nas margens do Leak Mead, segurando pelo pescoço a garrafa de vinho branco que a este ponto já estava vazia. É quando ele para, deixa a garrafa cair de sua mão e cai de joelhos na areia.  Ele põe suas mãos no chão, fecha uma delas pegando um pouco de areia e a joga no chão. Quando Jéssica o vê.

-(Jéssica): Túlio...

Túlio a ouve dizendo seu nome, ele simplesmente olha para trás por um momento a avistando.

-(Túlio): Vá embora...

-(Jéssica): Não! Você acha que eu não ouvi sua conversa com Valter agora a pouco?!

-(Túlio): Então sabe por que eu não te quero perto de mim...

-(Jéssica): Não diga coisas tão idiotas! A distancia entre nós não mudará o que sentimos um pelo outro! E independente se você me ama ou não, não é o seu amor que mata as pessoas! Perder quem amamos faz parte da vida!

-(Túlio): Jéssica...

Osvald e Valter chegam.

-(Pensamento) (Osvald): Ainda bem, Túlio não fez nada...

-(Túlio): Obrigado... Eu, eu não... Eu não estava com os pensamentos em ordem...

Fala túlio se levantando vagarosamente, ainda um pouco tonto por causa do efeito do alcol.

-(Valter): Então... O velho túlio está de volta?

Fim de Capítulo.


Última edição por Gamesmenezes em Seg Dez 07 2015, 16:24, editado 2 vez(es)
avatar
Gamesmenezes

Mensagens : 2043
Data de inscrição : 02/04/2014
Idade : 22
Localização : Canoas - Rio Grande do Sul

Ver perfil do usuário http://gamesmenezes.deviantart.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cajado da Redenção - Capítulo 07 - Depreção

Mensagem por OtakuCraft em Sab Ago 02 2014, 20:56

Sim, tudo o que você ama morre, assim como seu anime preferido ou sua franquia de jogos preferida.
Pô, deu até um nó na garganta quando disse que não a amava, tudo bem, sei que ele diz para protegê-la, mas, pô.
Enfim, que bom que a fic continua, ainda aguardo por mais. ^^

__________________________






Meu DA... passa lá. ;-;
avatar
OtakuCraft

Mensagens : 3466
Data de inscrição : 24/04/2014
Idade : 18
Localização : Tartarus

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cajado da Redenção - Capítulo 07 - Depreção

Mensagem por ninjastyled9tails em Dom Ago 03 2014, 00:07

O Otaku tirou as palavras da minha boca.kkk ele ninjou minha mente kkk

Ta ficando bem legal sua fic!

__________________________
"Mais vale uma waifu na mão do que duas crush voando." - PizzamasterBR

   
avatar
ninjastyled9tails

Mensagens : 492
Data de inscrição : 30/06/2014
Idade : 15
Localização : itaquaquecetuba-SP

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cajado da Redenção - Capítulo 07 - Depreção

Mensagem por Reinz-Sama em Dom Ago 03 2014, 15:34

Woah eu gostei bastante da sua Fic GM : D

Demorou um pouquinho pra ler tudo mas ela está muito boa ^^

__________________________
I will be the GOD OF THE NEW WORLD... of the love, ow yeah~ uwu

vou tacar esse brasão aqui porque sim, não me questione.
avatar
Reinz-Sama

Mensagens : 666
Data de inscrição : 27/07/2014

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cajado da Redenção - Capítulo 07 - Depreção

Mensagem por Tulyan em Dom Ago 03 2014, 17:18

Hum Hum, bem grande eu adorei isso, bem ainda tenho q fazer o meu T..T, eta preguiça, e Silver karaio faz sua nova ficha logo... bem eu vou pensar num bom começo e quando eu começar eu n vo adicionar + ninguém ta bom, por q ai eu já vu ter planos pra cada um e fazer mais planos vai ser chato convenhamos... bem voltando ao assunto, como é q diabos vc vai fazer '' parceria de fic '' com o Atryan ( eu vi num comentário )

__________________________
O Imortal dá mais valor ao tempo do que o mortal, o mortal se preocupa com o tempo que passa até sua morte
e o Imortal, se preocupa com o tempo que passará,
Sendo Feliz...


Mas nada está ábdito de minhas garras... Nada...
avatar
Tulyan

Mensagens : 2253
Data de inscrição : 14/07/2014
Localização : Atrás de você...

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cajado da Redenção - Capítulo 07 - Depreção

Mensagem por Gamesmenezes em Dom Ago 03 2014, 17:21

bem, basicamente nós dois escreveremos juntos um capítulo pertencente as duas fics porem tal será considerado filler.
avatar
Gamesmenezes

Mensagens : 2043
Data de inscrição : 02/04/2014
Idade : 22
Localização : Canoas - Rio Grande do Sul

Ver perfil do usuário http://gamesmenezes.deviantart.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cajado da Redenção - Capítulo 07 - Depreção

Mensagem por OtakuCraft em Dom Ago 03 2014, 17:27

@Tulyan escreveu:e Silver karaio faz sua nova ficha logo...( eu vi num comentário )
Até onde sei ele disse que podia fazer qualquer coisa pra ficha dele, eu acho. '-'
avatar
OtakuCraft

Mensagens : 3466
Data de inscrição : 24/04/2014
Idade : 18
Localização : Tartarus

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cajado da Redenção - Capítulo 07 - Depreção

Mensagem por Tulyan em Dom Ago 03 2014, 19:01

psé mas dai e se ele n gosta ? sobra pra quem pra mim né =T, e o '' eu vi um comentário'' n tinha nada a ver com o Silver ok... mas faz assim vo dexa ele fora =T infelizmente, tem q mostrar interesse né =T =T =T =T

__________________________
O Imortal dá mais valor ao tempo do que o mortal, o mortal se preocupa com o tempo que passa até sua morte
e o Imortal, se preocupa com o tempo que passará,
Sendo Feliz...


Mas nada está ábdito de minhas garras... Nada...
avatar
Tulyan

Mensagens : 2253
Data de inscrição : 14/07/2014
Localização : Atrás de você...

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cajado da Redenção - Capítulo 07 - Depreção

Mensagem por Atryan Avsyuk em Seg Ago 04 2014, 16:15

Hum Hum eu to esperando ele me chama no skype pra gente combina tudo mas ele n vem logo T..T.....

__________________________
Ouvi agora, filhos da neve, a uma lenda, há muito tempo,
E do conto, corajosamente, disse.


Quem é filho de tanto dragões e as raças dos homens,
Com um poder para rivalizar com o Sol,
E os Pergaminhos predisseram, de asas negras no frio,
Que quando os irmãos apostam guerra se desfralda,
Alduin, temor dos Reis, sombra anciã libertará,
Com fome para engolir o mundo.


Mas um dia irá surgir, quando as palavras do dragão negro,
Serão silenciadas para sempre e então,
Justa Skyrim, estará livre das vis presas de Alduin.
avatar
Atryan Avsyuk

Mensagens : 175
Data de inscrição : 25/06/2014
Idade : 19
Localização : Algarv

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cajado da Redenção - Capítulo 07 - Depreção

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum